fbpx
Automação Gestão Tecnologia

Prontuário eletrônico na clínica saiba mais sobre essa ferramenta

prontuário eletrônico

Você já pensou em implantar um prontuário eletrônico na clínica? Num futuro próximo, praticamente todos os profissionais contarão com essa ferramenta — e você não quer ficar para trás, não é mesmo?

Então, por que não começar a pensar nisso agora mesmo? Embora muitas clínicas já tenham aderido a ele, implantá-lo nesse momento significa inovar. E quem não gosta de cuidar da sua saúde em um local que busca acompanhar as evoluções tecnológicas? Continue a leitura e saiba mais!

Mas, afinal, o que é o prontuário eletrônico?

Trata-se de um software capaz de armazenar todas as informações de atendimentos feitos ao paciente. Nele, é possível inserir exames solicitados e seus resultados, medicamentos prescritos, procedimentos realizados e todo o histórico relacionado à saúde.

Se o indivíduo sofre de uma doença crônica, ali estarão registrados quando foi feito o diagnóstico e como está a evolução da enfermidade. Alergias a medicamentos, vacinas e tratamentos também ficam disponíveis para consultas. Assim, quando o paciente vai a uma consulta, o médico rapidamente consegue visualizar todas as informações necessárias.

Quais são os benefícios proporcionados?

A implantação do prontuário eletrônico, além de representar um grande avanço, traz inúmeras vantagens. A partir dele, você otimiza o atendimento ao paciente, visto que já tem, a poucos cliques, todo o seu histórico.

No momento em que ele entra em seu consultório, você tem o ponto de partida para novas investigações. Isso também facilita o diálogo entre médico e paciente, visto que as dúvidas de ambas as partes são mais facilmente sanadas.

O relacionamento entre vocês também só tende a melhorar com essa ferramenta. Enquanto você fica mais seguro tendo em mãos as informações, o paciente se sente mais exclusivo. Você dá mais atenção a ele e otimiza seu atendimento, o que gera satisfação.

Já imaginou a reação do público ao receber um SMS da clínica perguntando como se sente? Não seria bom poder enviar a ele um lembrete de que já é tempo de marcar uma consulta novamente? Isso faz com que a pessoa sinta que a clínica realmente se preocupa com a sua saúde e, ainda, a estimula a interagir.

O prontuário eletrônico também influencia diretamente nos diagnósticos. Isso porque, tendo informações que sirvam como ponto de partida, fica mais fácil chegar a conclusões que proporcionarão tratamentos mais eficazes.

Outro fator a ser otimizado com a implantação da ferramenta é o tempo, pois as informações podem ser consultadas com agilidade. Sendo assim, as ações necessárias são implantadas em seguida e, com isso, você poderá dedicar-se a outras questões importantes.

Há normas para usá-lo?

O Conselho Federal de Medicina (CFM) estipula algumas normas para a implantação do prontuário eletrônico em clínicas médicas. Trata-se da Resolução 1821/2007.

A partir dessa lei, a troca de papéis por prontuários eletrônicos fica autorizada, contanto que algumas medidas sejam cumpridas. Uma das premissas básicas do CFM diz que a emissão do prontuário de todo paciente atendido é dever do médico.

Essa digitalização, entretanto, precisa conter todas as informações que fariam parte do documento impresso. Ela também deve ficar sujeita a um sistema de gerenciamento eletrônico, que permita um arquivamento organizado e o armazenamento com total segurança. Afinal, tais dados não podem ser perdidos ou “vazados”.

O certificado digital utilizado pode ser o ICP-Brasil. E as microfilmagens, cópias ou digitalizações devem ser guardadas permanentemente. Os documentos que não foram passados para a versão digital, entretanto, devem ser mantidos por 20 anos, caso não haja mais notícias do paciente.

O Manual de Certificação para Sistemas de Registro Eletrônico em Saúde fica aprovado com essa Resolução. É a partir dele que pode ser emitido o selo de segurança para os sistemas adotados por cada clínica. E quem faz essa verificação é o CFM e SBIS (Sociedade Brasileira de Informática em Saúde).

Como implantar o prontuário eletrônico na clínica?

As clínicas que desejam contar com essa ferramenta devem seguir alguns passos. Pensando nisso, listamos, abaixo, os procedimentos necessários para se fazer a implantação do sistema:

Passo 1 — buscando a autorização

Você se lembra de que falamos que o prontuário eletrônico está sujeito ao ICP-Brasil? Pois bem: ele conta com várias ACs (Autoridades Certificadoras).

A lista desses locais pode ser encontrada no site do ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação). Após descobrir uma dessas autoridades, basta escolher um certificado (existem diversas modalidades e validades) e solicitá-lo.

Passo 2 — validando os dados

Uma vez solicitado o certificado, é preciso encontrar uma AR (Autoridade de Registro) para fazer a validação dos dados. Tal procedimento é importante para a sua segurança e, também, para a de seus pacientes. Essa etapa é o que dificulta a ocorrência de fraudes.

Passo 3 — escolhendo um sistema de gestão

Os prontuários eletrônicos serão geridos por um sistema específico. E é importante que esse sistema conte com ferramentas que se tornem verdadeiros facilitadores na rotina de sua clínica.

É por isso que o ideal é dar preferência aos de fácil manuseio. Só não abra mão da segurança dos dados armazenados.

Passo 4 — fazendo a migração

Dependendo do tamanho e da idade de sua clínica, pode ser que a migração total dos dados leve um tempo. Você precisará fazer o levantamento de todas as informações sobre pacientes para registrá-las no sistema. Para que dados importantes não sejam perdidos, é imprescindível manter a organização durante essa fase.

Seguir esses passos é fundamental para que o sistema implantado em sua clínica realmente funcione e promova as melhorias esperadas. A etapa de transformar papéis em dados digitais é uma das que mais exigirá atenção, podendo ser aliada a uma atualização no cadastro dos pacientes.

O prontuário eletrônico é uma importante ferramenta para que o seu estabelecimento ganhe destaque no mercado. E a melhor forma de vencer a concorrência é oferecer um serviço que realmente faça a diferença na vida do paciente.

Com um histórico à mão, diagnósticos precoces e uma relação de confiança, as possibilidades de sucesso no tratamento se tornam muito maiores, não acha?

E você? Está pensando em implantar o prontuário eletrônico na clínica? Veja quais são as diferenças entre os prontuários eletrônicos e os de papel para entender qual a melhor opção para o seu caso!

Deixe seu comentário