fbpx
Tecnologia

Veja 6 maneiras de garantir a segurança da informação na saúde

O gerenciamento de um estabelecimento médico envolve uma série de operações, como a coleta, a análise e gestão de dados relativos aos pacientes, o seu estado de saúde e o andamento da rotina da instituição hospitalar. Diante disso, a quantidade de informações armazenadas em arquivos no sistema operacional das clínicas é muito grande.

Nesse cenário, é preciso ter cuidado com a segurança da informação na saúde a fim de evitar invasões no sistema e o furto de arquivos que poderiam comprometer todo o funcionamento da clínica e causar enormes prejuízos.

Pensando nisso, neste artigo vamos abordar algumas práticas que devem ser implantadas para garantir a segurança da informação na área da saúde da maneira mais efetiva possível. Confira!

1. Use a tecnologia de segurança

Atualmente, existem diversos mecanismos tecnológicos de segurança que protegem o sistema operacional das clínicas. Eles utilizam a criptografia para codificar os dados e evitar que eles sejam invadidos por terceiros mal-intencionados. Além disso, podemos citar como outros exemplos tecnológicos que reforçam a segurança o uso de firewall e o antivírus.

Hospitais, clínicas e demais instituições podem adotar um firewall para aumentar a proteção contra invasões externas e ameaças virtuais. Apenas os programas antivírus não são suficientes. Ainda que eles destruam potenciais ameaças que possam penetrar na rede, apenas o firewall tem a capacidade de evitar, de fato, que softwares prejudiciais consigam entrar no sistema.

Dessa maneira, é importante contratar uma empresa terceirizada, com experiência no assunto, que tenha a capacidade de aumentar a segurança dos dados e de prestar todo o suporte necessário em casos de atualizações e problemas que venham a surgir.

2. Tenha normas de confidencialidade

É essencial que a empresa tenha cuidado com as informações que estão armazenadas em seus arquivos, uma vez que esses dados são considerados ativos muito valiosos dentro de uma instituição e podem ser desejados por terceiros. Assim, o estímulo a uma política de segurança promove o uso adequado da rede online compartilhada dentro do ambiente corporativo e reduz, assim, o risco de acidentes.

Dessa maneira, é importante manter normas de confidencialidade com o objetivo de proibir que os funcionários tenham acesso a esse tipo de informação fora do ambiente de trabalho, ou seja, que levem esses dados para além do estabelecimento de saúde. Nesse sentido, é importante adotar medidas como:

  • bloquear a cópia de arquivos;
  • impedir o uso de dispositivos móveis para evitar fotos e vídeos;
  • estimular o treinamento dos funcionários para que desenvolvam os valores da empresa;
  • promover a capacitação para que os funcionários consigam lidar melhor com as informações que eles mantêm contato todos os dias;
  • incentivar a assinatura de um termo no qual o colaborador se compromete a manter todos os dados em sigilo.

3. Utilize recursos de criptografia para manter as informações em sigilo

A criptografia codifica imagens e códigos e permite mascarar dados confidenciais contidos em arquivos que precisam ser mantidos em sigilo, devido, principalmente, à sua importância. Trata-se, assim, de uma maneira de camuflar as informações por meio de um mecanismo que faz com que os arquivos sejam convertidos em códigos praticamente indecifráveis, que só podem ser decodificados pelo próprio usuário e por pessoas que têm autorização para tanto.

Esse mecanismo criptográfico de segurança está presente em boa parte dos aplicativos e sistemas operacionais disponíveis hoje em dia. Além disso, com o treinamento correto, ele pode ser facilmente manuseado, mesmo por pessoas mais leigas.

4. Treine e capacite os seus funcionários

Apesar de toda a tecnologia que a sua empresa possa adotar, isso não será suficiente se os seus funcionários não estiverem devidamente treinados e capacitados. Afinal, se eles não seguirem os protocolos internos de proteção ou não souberem manusear o sistema de modo adequado, de nada servirá qualquer inovação.

Dessa forma, promova treinamentos visando a capacitar os funcionários para que saibam operacionalizar o sistema que mantém a segurança de dados na tecnologia de saúde. Apresente os riscos e as ameaças existentes para que eles se conscientizem do cenário em que a empresa está inserida, bem como dos prejuízos graves que podem ocorrer quando os colaboradores e os gestores não dão a devida atenção a esses fatores.

É importante que os funcionários evitem algumas atitudes que podem expor a rede de hospitais e clínicas médicas e gerar vulnerabilidades. Confira algumas ações que devem ser evitadas:

  • fazer downloads de arquivos originários de fontes inseguras, pois podem estar contaminados com algum tipo de software nocivo;
  • acessar sites duvidosos, pois podem ter malwares embutidos;
  • abrir e-mails e redes sociais no ambiente corporativo, pois podem ter vírus e outros sistemas contaminados.

5. Tenha o costume de fazer backups com frequência

O backup é uma maneira de recuperar e proteger os dados de um sistema. Isso acontece porque as informações são copiadas e salvas em mídias ou arquivos alternativos. Assim, em caso de deterioração ou falha em uma determinada pasta, as informações não serão perdidas para sempre, pois ainda estarão salvas em outro endereço.

O ideal é que as cópias resultantes de backups fiquem armazenadas em sistemas externos ao do estabelecimento médico. Assim, se, porventura, houver invasão da rede do hospital ou clínica, os dados continuarão seguros em outros arquivos.

O recomendado é agendar o próprio software automatizado para que ele realize backups periódicos e promover o salvamento dos dados com certa frequência.

6. Adote um software de gestão

O software de gestão é um mecanismo que otimiza as tarefas do estabelecimento médico e, ao mesmo tempo, ajuda a promover a segurança das informações, mantendo-as intactas e a salvo de potenciais ameaças. Essa ferramenta permite o armazenamento de dados junto ao cloud computing, o que ajuda a manter a sua proteção.

Uma boa ideia é adotar um software que realiza agendamentos de consulta online e faz o gerenciamento do prontuário dos pacientes. Dessa forma, as informações pessoais de cadastro e aquelas referentes ao agendamento de consultas e ao estado de saúde de cada indivíduo são armazenadas e ficam disponíveis para futuras verificações, caso seja necessário.

A segurança da informação na saúde é um elemento que merece atenção especial ao longo do processo de gestão hospitalar. Isso porque os sistemas utilizados são vulneráveis e podem ser violados. Por isso, a adoção de uma política estratégica interna deve obedecer aos princípios da confidencialidade, integridade, autenticidade e disponibilidade dos dados. Essas medidas garantem o armazenamento eficiente e seguro dos dados que compõem a estrutura da instituição médica.

Quer saber mais sobre as formas de proteger o seu negócio? Visite o site da NORTESYS Clinic!

Deixe seu comentário