fbpx
Tecnologia

Como manter a segurança de dados de pacientes? Nós explicamos!

Como manter a segurança de dados de pacientes nos explicamos

As preocupações que envolvem uma clínica médica costumam estar relacionadas ao atendimento oferecido, aos tratamentos, à qualidade dos serviços prestados e ao gerenciamento.

No entanto, a segurança de dados de pacientes também merece atenção e precisa ser garantida para que informações sigilosas não sejam perdidas ou acessadas por pessoas não autorizadas. Qualquer tipo de incidente com esse tipo de material pode gerar grandes prejuízos à reputação de uma clínica — e até mesmo problemas judiciais.

Desse modo, é primordial desenvolver práticas que contribuam para a preservação desses dados. Pensando nisso, preparamos este post com o intuito de explicar melhor como é possível manter essa segurança. Acompanhe!

Quais ações ajudam a manter a segurança de dados de pacientes?

Abaixo, você verá algumas medidas que podem ser utilizadas para proporcionar máxima proteção ao banco de dados da sua clínica!

Investir em um software especializado

Atualmente, é possível encontrar no mercado diversos softwares voltados para facilitar os processos de uma clínica, sendo o armazenamento de informações um deles. Nesse tipo de sistema, você poderá colocar todos os dados e protegê-los com a criação de um usuário e uma senha, o que impedirá uma pessoa sem autorização de acessá-los.

Além disso, o programa conta com uma equipe de suporte sempre disponível: caso haja um imprevisto, a empresa se responsabiliza pela segurança dos dados, resolvendo o contratempo rapidamente. No entanto, esse é um recurso exclusivo de um software de qualidade que, na maioria das vezes, tem um custo.

Fazer backup na nuvem

Realizar um backup significa fazer uma cópia das informações com o objetivo de evitar que elas sejam perdidas. Já o termo nuvem se refere ao uso da tecnologia para armazenar conteúdos digitalmente, com a ajuda da internet. Com esse mecanismo, é possível substituir arquivos físicos, que facilmente são danificados.

Além disso, tudo que for guardado poderá ser acessado por computadores, smartphones e tablets sempre que houver necessidade, de maneira rápida e com segurança. Isso porque o serviço é monitorado por especialistas eficientes, o que reduz as chances de ataques cibernéticos.

Usar a criptografia de dados

A criptografia consiste na codificação de dados ou mensagens trocadas de maneira que elas se tornem impossíveis de serem decifradas por pessoas que não devem visualizá-las. As informações são completamente embaralhadas e um código digital é gerado.

A partir daí, somente quem tem a chave de acesso conseguirá descriptografar — uma solução cada vez mais utilizada e de fácil manuseio.

Realizar atualizações de segurança diariamente

Atualizar constantemente o sistema também colabora para manter a segurança dos dados. Os hackers — pessoas que utilizam seu amplo conhecimento em informática para a realização de atos ilegais — observam a vulnerabilidade dos sistemas com o intuito de encontrar o momento certo para agir e fazer uma invasão maliciosa.

Desse modo, incrementar as funcionalidades dos softwares voltadas para proteção e a correção de falhas periodicamente por meio das atualizações impede que qualquer tipo de abertura seja dada para esses criminosos. Certifique-se de que o antivírus escolhido tem essa função e prefira aqueles que a fazem automaticamente, sem dificultar a rotina da clínica.

Controlar o acesso dado a cada usuário

É fundamental que somente quem realmente necessite dos arquivos de um paciente possa acessá-los. Isso significa que você deve limitar a visualização desse material por pessoas de outros setores, que não precisam deles nas suas funções.

Além de essa medida aumentar a proteção, ela também colabora para manutenção do sigilo e da privacidade dos pacientes.

Treinar adequadamente os profissionais envolvidos

Não basta utilizar um recurso extremamente tecnológico para conseguir manter os dados seguros: as pessoas que trabalham com você também precisam contribuir. Logo, o oferecimento de treinamentos para sua equipe deve ser feito com frequência.

Além de explicar os riscos do armazenamento incorreto das informações, é importante mostrar as melhores formas de se evitar os prejuízos que podem ser trazidos a partir das falhas na segurança.

Ter acompanhamento

Por mais que sejam aplicadas medidas para garantir que os arquivos fiquem protegidos, é imprescindível acompanhar as tentativas de invasão no sistema. Se elas forem frequentes, isso significa que você deve reforçar as ações já realizadas para proteção.

Escolher uma empresa confiável

Optar por softwares para armazenar os dados médicos, sem dúvidas, é uma ótima escolha. No entanto, é preciso lembrar que, por trás dessa tecnologia, existe uma empresa que precisa ser de confiança e cuidar com responsabilidade desse material.

Dessa forma, antes de escolher, pesquise a reputação, veja o que outros clientes falam do serviço e saiba há quanto tempo o fornecedor da plataforma está no mercado.

Muitas vezes — principalmente quando o programa é usado online —, os servidores em que os dados são mantidos não pertencem à empresa desenvolvedora do sistema, então esse serviço pode ser terceirizado.

Portanto, preste atenção nesses detalhes e prefira contratar companhias que possuam um servidor próprio a fim de evitar muitas partes envolvidas na segurança dos dados da sua clínica.

Criar senhas seguras

As senhas para proteger os arquivos com as informações dos pacientes devem ser criadas com alguns cuidados para que sejam realmente eficazes. Para isso, use letras, números e símbolos, utilize pelo menos 8 caracteres e evite a repetição deles, não as crie baseadas em documentos, datas de aniversário, nome de conhecidos e nunca coloque palavras muito comuns.

Troque-as regularmente para diminuir a possibilidade de alguém descobri-las, não as revele e prefira que cada pessoa que pode ter acesso a esses arquivos tenha sua própria senha.

Como podemos perceber, manter a segurança de dados de pacientes é essencial e, com o uso da tecnologia e boas práticas, você garantirá que esse cuidado seja feito com eficiência. Nesse contexto, as dicas mencionadas ajudarão a garantir que as informações fiquem realmente seguras.

Sendo assim, avalie quais medidas melhor se adéquam ao que sua clínica precisa para que seja feita a escolha da melhor opção.

E aí, gostou do post? Então, agora que você já sabe quais iniciativas colaboram para a proteção dos dados de pacientes, aproveite para complementar a leitura e saber como evitar a perda desse material. Afinal, ter esse cuidado também é uma medida de segurança.

Deixe seu comentário