fbpx
Gestão

RH na clínica médica: como profissionalizar?

RH na clínica

Recursos Humanos. Essas duas palavras, conhecidas por todos como RH, são recorrentes no universo corporativo e compõem uma das maiores preocupações de quem está à frente de um negócio. Afinal, o grande diferencial em relação à concorrência pode estar nos profissionais que integram a equipe e em como eles trabalham.

Nas clínicas médicas, a preocupação com a sigla deve ser a mesma. Um consultório é também um negócio, que precisa ter lucro, controlar gastos e contar com os melhores profissionais para ser reconhecido pela qualidade e excelência no atendimento.

Neste artigo, vamos dar dicas práticas sobre como profissionalizar o RH da clínica médica. Tem interesse em formar e manter a melhor equipe de talentos da área? Continue a leitura e siga nosso passo a passo!

Elabore um planejamento estratégico para o setor

É comum que proprietários de clínicas médicas — muitos formados em Medicina — pensem com uma cabeça mais operacional da profissão e pouco administrativa. Não é à toa que softwares de gestão de clínicas médicas são tão importantes na organização das informações do negócio, facilitando as tomadas de decisão.

Porém, é preciso pensar de maneira mais estratégica se você quer ter uma clínica reconhecida pela excelência e ver o faturamento subir. E um planejamento para o setor é fundamental, incluindo aspectos como contratação, treinamentos contínuos e esforços para motivar a equipe.

Muitas clínicas não dispõem de um setor específico de RH e realizam contratações contando com o auxílio de empresas especializadas. O importante é que sejam definidos critérios para a seleção de candidatos a todos os cargos da instituição a partir do perfil do negócio e das expectativas, além de um cronograma de treinamentos que vise ao aprimoramento dos profissionais.

Um consultório com médicos que não se atualizam fica obsoleto em suas técnicas. Uma secretária que não recebe o treinamento adequado pode estar comprometendo a linha de frente do negócio.

Estruture e padronize processos

Lidar com recursos humanos requer planejamento, mas também a padronização dos processos. Caso esse protocolo não exista, tudo o que envolve a entrada e a saída de pessoal da clínica, além dos treinamentos, será feito de forma amadora e fadada ao erro.

Imagine que uma clínica tenha três sócios. Quando um médico vai ser contratado para compor a equipe, é entrevistado por um deles. Mas não há um roteiro de conversa e as perguntas mais importantes não são definidas de antemão (nem os critérios de desempate entre candidatos).

O resultado é que um excelente profissional pode ser desqualificado pela subjetividade de apenas um sócio, enquanto os outros dois o considerariam ideal. Um sócio também pode escolher um médico achando que se trata da melhor opção — e os outros discordam, pois acreditam que o estilo de trabalho dele não combina com o da clínica médica.

Tudo isso poderia ser evitado se os processos fossem estruturados e padronizados. É preciso definir:

  • um perfil ideal para o cargo em conjunto;
  • quais são as etapas do processo seletivo;
  • com quantos sócios o profissional precisa conversar para ter aprovação;
  • se é melhor que o diálogo seja em grupo, para facilitar a deliberação.

Sem roteiro ou protocolo, há desperdício de tempo e energia, lentidão nos processos e grandes chances de erro. E essas características não são desejadas por um bom gestor de consultório médico.

Analise o clima organizacional da clínica

Quando se fala em RH, muita gente pensa no recrutamento e na seleção de equipe, mas não sabe que o setor faz muito mais do que isso. Recursos Humanos é a área responsável também por analisar o clima organizacional de um negócio, saber quais são as falhas atuais em relação à gestão de pessoas e pensar em como elas podem ser sanadas.

Diagnosticar o clima é saber como os profissionais de uma empresa se sentem nela, como anda a motivação. Ou seja: trata-se de uma ferramenta poderosa para evitar as despesas e os impactos de uma alta rotatividade de pessoal, pois qualquer problema que existir pode ser resolvido com ações estratégicas.

Já viu um time de boas secretárias dar adeus à clínica, uma atrás da outra? Provavelmente, essa evasão poderia ser prevista com uma boa análise de clima e evitada com diálogo — além, é claro, da melhoria das condições de trabalho.

Lembre-se de que isso não é flexibilizar demais: é entender que, sem um bom atendimento na recepção, nem médico que faz milagres consegue fidelizar os pacientes. Caso a clínica seja pequena e não conte com um setor de RH, é possível contratar o serviço de empresas especializadas.

Sem o constrangimento de ter que fazer críticas sobre a empresa para o proprietário, o diálogo será bem mais sincero (e as medidas para resolver problemas, mais eficazes).

Realize treinamentos periodicamente

Valores, metas, objetivos e processos não se comunicam sozinhos. Tudo isso precisa ser repassado à equipe constantemente, para que todos trabalhem de acordo com as expectativas do negócio. Para tanto, é fundamental que existam treinamentos.

Os treinamentos são maneiras de alinhar o pensamento dos proprietários da clínica médica com sua equipe. Neles, é possível definir quais os procedimentos ideais para o bom funcionamento do consultório.

Com isso, as secretárias vão saber exatamente qual é o protocolo de atendimento da clínica na recepção, ao passo que os médicos terão acesso ao que se espera deles na sala de atendimento. Esses momentos são essenciais inclusive para aparar arestas de problemas já apontados em pesquisas de satisfação feitas com pacientes.

Invista também em treinamentos voltados para o desenvolvimento de habilidades específicas caras a cada profissional (cursos de oratória para recepcionistas, por exemplo). Muitos deles podem ser contratados no sistema in company, minimizando o valor do investimento.

Trabalhe a Comunicação Interna

Grandes empresas contam com setores estruturados de Comunicação Interna, geralmente subordinados ao de Recursos Humanos, para cuidar do diálogo com o público interno do negócio: a própria equipe.

Muito mais do que enviar recados que viabilizam o bom funcionamento da clínica médica, a Comunicação Interna em um consultório, mesmo feita sem o auxílio de um departamento, deve priorizar a qualidade de um canal de comunicação entre líderes e liderados, promovendo um ambiente de transparência pautado na eficácia.

Quer um exemplo? É possível pensar em campanhas específicas e enviá-las para o e-mail da equipe, utilizando softwares de gestão. Se um problema recorrente vem sendo a reclamação de pacientes quanto ao tempo de atendimento, podem ser criadas comunicações para dar dicas de otimização de tempo a toda a equipe envolvida.

Assim, tudo o que é trabalhado desde a seleção até os treinamentos pode ser relembrado constantemente pelas ações da Comunicação Interna. Isso deixa o time mais coeso e comprometido.

E então, gostou de nossas dicas sobre como profissionalizar o RH da clínica médica? Que tal entrar em contato com a gente para saber como podemos ajudar você nesse processo?

Deixe seu comentário