fbpx
Tecnologia

6 funções que todo software médico deve ter

6 funções que todo software médico deve ter

O dia a dia de um consultório médico ou de uma clínica é muito agitado. Por isso, é importante buscar meios de dinamizar a rotina, criando fluxos orientados de trabalho em que médico, secretária e gestor tenham tempo para se dedicar ao que realmente importa. Por conta disso, existem diferentes softwares de gestão voltados para área de saúde, que informatizam e facilitam as tarefas de cada profissional.

No artigo de hoje, confira 6 funções importantes que todo software médico deve ter.

1 – Agendamento de consultas

Parece óbvio, mas nem todo software médico é capaz de marcar consultas de forma adequada. É preciso que o sistema possibilite remarcação, cadastro de lista de espera e funções inteligentes do mundo atual, como lembrete direto ao paciente, seja por SMS ou e-mail, por exemplo.

2 – Prontuário eletrônico

O prontuário eletrônico é uma tendência. O software deve possibilitar ao médico descrever de forma ágil todas as características da anamnese, dos exames laboratoriais e clínicos. Ele permite dinamizar a consulta e ser mais assertivo, pois não será mais necessário ter uma pasta com vários papéis para cada paciente — estará tudo na tela!

3 – Receita e pedido de exames

O tempo de uma consulta muitas vezes não é suficiente para atender de modo efetivo às necessidades de um paciente, o que pode provocar atrasos. É preciso minimizar o tempo perdido com anotações, confecção de receitas e pedidos de exames. Ao fazer uso de um software de gestão, o médico faz tudo isso com alguns cliques e tem mais tempo para dar atenção máxima ao seu paciente.

4 – Gerador de recibos

O recibo é um direito do paciente e um dever da clínica, portanto deve ser um processo automático. O software deve fazer o recibo e liberá-lo para todo paciente que comparecer a uma consulta ou a um procedimento.

5 – Gestão orientada

A informatização não gera ganhos apenas para a secretária e para o médico. Um software bom de verdade atende também às necessidades do gestor, administrando custos e gerando gráficos e estatísticas que permitem visualizar o desempenho de pessoal e o diagnóstico de possíveis gargalos nos fluxos de serviço.

6 – Integração de serviços

Até aqui, talvez você encontre softwares médicos com alguns dos recursos listados, mas dificilmente vai achar um que possibilite a integração de tanta informação. Não vai adiantar muita coisa ter todos os setores da clínica automatizados se for necessário transcrever dados de uma plataforma para outra, gerando dados duplicados, perda de notas e muito transtorno.

O sistema deve ser capaz de, por exemplo, captar os dados pessoais do paciente no cadastro feito pela secretária, mostrá-los ao médico durante a consulta e disponibilizar as informações relevantes desse processo ao gestor.

Essas são algumas funções mais importantes que um software médico deve ter. Você tem alguma necessidade que não foi contemplada aqui ou já passou por situações em que esses recursos fizeram falta? Comente este artigo e conte pra gente a sua experiência com o assunto!

Deixe seu comentário